Sou tudo aquilo que escrevo.Não há melhor forma de me conhecer.Nas palavras encontrei todos os sentidos.Nos gestos descobri todas as emoções. No amor descobri a vida em mim.Tudo em mim é mar, calmo ou violento, quando olharem esse azul imenso de água pleno, relembrem as palavras que escrevi, esse é o segredo de estar aqui.
Domingo, 28 de Janeiro de 2007

Inconfidências

É muito duro sentir a tua inexistência. Mais do que isso, é um vazio dentro de mim. Não poder dizer que estou cheia de ti, que o meu corpo e a minha alma se descobriram em ti. E depois eu sei lá o que é que eu queria, o mais simples que pode haver, poder um dia dizer que afinal desta vez é que tinha ficado apanhadinha de todo, desde a ponta dos teus cabelos até à pontinha dos teus pés e ai realizava metade da minha vida.
Quero-te com todos os teus defeitos e amarguras, quero-te assim para mim e só para mim... por amor de ti. Era bom ser a tua inspiração porque tu já eras a minha antes de existires. Vou por tudo o que for esperança em ti, na tua possivel existência e depois se tu não me encontrares ou esperares vou imaginar que te perdeste como uma agulha num palheiro, tão imenso era o meu desejo.Vou preencher a tua falta com a presença dos outros, vou igualá-los no meu desespero e depois eles sabem lá o que é que eu quero e aceitam, eu é que nunca! sei lá porquê, mas tu sabes bem, não é? Passo as noites do sem sono a sonhar-te acordada, aconchego-me no teu invisivel corpo e é como um longo ritual até estarmos nus e sem sequer dar por isso preenches-me toda com essa plenitude que move céus e terras e nos enche a vida de recompensas. Agarro-me àquele peluche que o outro me deu e faço de conta que és tu e que foste tu que mo deste num daqueles esquecidos aniversários. Até nem me importava de sentir o vazio na nossa cama, a meu lado, porque então saberia que um dia estiveras lá e que o nosso amor tinha sido incrível até às consequências.
Queria sentir-te em mim e através de mim, para depois tornar estes esquecíveis textos em que me recordo a mim própria na ausência do teu carinho, do teu toque, em best-sellers da tua biblioteca particular.
Passar a vida inteira a repetir as mesmas coisas só para me convencer das incertezas que me roubam a alma. Porque há certos sonhos que só tu poderás partilhar comigo, vem e confidencia-me as tuas inconfidências porque um dia destes que ambos queiramos iremos juntos, caminhando lado a lado mais além do infinito.
9/12/06
Pensamentos:
Abrigo por Anamel às 13:47

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30

Abrigos recentes

Aromas nos gestos

Respirar-te

A musica nas tuas mãos..

Janela do teu olhar

Para o meu amor..

_Heart_Soul_

Poeta da Alma

Esta sede que te sinto..

Quando..

Fica com a menina..

Sótão dos Pensamentos

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Pensamentos

alentejo blue(1)

alunos(2)

amar(3)

amigos(4)

amigos virtuais(6)

amor(5)

eu(45)

fernando pessoa(1)

filmes(1)

fotografia(3)

livros(7)

mãe(15)

monica ali(1)

musica(1)

natal(1)

ornatus violeta(1)

poesia(66)

sentir(1)

viagens(2)

vinicius de morais(1)

todas as tags

Favoritos

'I dreamed a dream' - Gle...

'Don't stop believing' (S...

Fica com a menina..

'Tento saber' - Nuno Guer...

'Ballade pour Adeline' - ...

'Into the night' - Carlos...

Descubram-me no abrigo das palavras

blogs SAPO

Subscrever feeds