Sou tudo aquilo que escrevo.Não há melhor forma de me conhecer.Nas palavras encontrei todos os sentidos.Nos gestos descobri todas as emoções. No amor descobri a vida em mim.Tudo em mim é mar, calmo ou violento, quando olharem esse azul imenso de água pleno, relembrem as palavras que escrevi, esse é o segredo de estar aqui.
Sábado, 24 de Fevereiro de 2007

Falta-me Chorar

Fazes-me falta
na ausência dos dias

Fazes-me perder os caminhos
nos reencontros dos regressos

Entre abaladas e chegadas
Há enganos nos olhares

Fazes-me falta chorar

Calaram-se os segredos
Esconderam-se os medos

E as emoções
As paixões
As uniões
E as conjunções
Que antevi
Perdi.

22/02/2007
Pensamentos: ,
Segunda-feira, 5 de Fevereiro de 2007

Os Meus Regressos a Casa...

Percursos


No branco do casario
Que o sol afaga
No silêncio da Planície
Que aquieta a alma
No bailado das searas
Que a brisa produz
No rubro das papoilas
Que beijam malmequeres
No matiz dos girassóis
Que enche a paisagem
Nos densos olivais
Que a riqueza contempla
Na água pura das fontes
Que à sede dá prazer
Na beleza do património
Que artistas perpetuaram
Na nostalgia dos cantares
Que a sensibilidade respeita
Na mesa saborosa
Que o paladar divulga
Nos rostos cansados
Que a vida marcou
O povo hospitaleiro
Se reconhece
E eu te venero
Nobre Alentejo!

Autor: a minha mãe!
Pensamentos: ,
Abrigo por Anamel às 21:13

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 28 de Janeiro de 2007

My Wish

A criança nos teus braços é vida para mim,
o mar que te banha são lágrimas do céu a chorar por ti,
se eu outra coisa quisesse ser
seria a espuma de uma onda
a brisa nos teus cabelos , o sol , o raiar em ti.
Pensamentos:
Abrigo por Anamel às 14:41

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

For My Love

Vou caminhar por dentro dos desejos, vou entranhar me nos secretos desejos da tua pele, por dentros dos teus beijos....

E vejo o mar da tua alma caminhando para a praia do meu corpo...
Pensamentos:
Abrigo por Anamel às 14:40

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Amar o Mar

Contar-te longamente as perigosas
coisas do mar.
Contar-te o amor ardente
e as ilhas que só há no verbo amar.
Contar-te longamente longamente.
Amor ardente. Amor ardente. E mar.
Contar-te longamente as misteriosas
maravilhas do verbo navegar.
E mar. Amar: as coisas perigosas.
Contar-te longamente que já foi
num tempo doce coisa amar. E mar.
Contar-te longamente como doi
desembarcar nas ilhas misteriosas.
Contar-te o mar ardente e o verbo amar.
E longamente as coisas perigosas.

Manuel Alegre
Pensamentos: , ,
Abrigo por Anamel às 14:37

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quero Ser Depois de Amar

Barragem de Santa Clara
A pequena casa que conquista a serra
Quero subir a Serra.

O pequeno lume que se perde fumo por cima do telhado
Quero ser a lenha.

A pequena janela que paira sobre o rio
Quero ser as portadas intuir a Paz.

A pequena àrvore que envolve o quarto
Quero ser as folhas e enroscar-me nos teus cabelos.

As longas margens que se estendem ao redor das águas
O profundo leito que banha perdidos os olhares
Quero ser o espelho que reflecte o regresso das almas.

A extensa ponte que atravessa o rio
Quero ser o chão que pisas quando regressas a casa.

O distante e solitário marinheiro
Quero ser o barco que te acompanha.

A pequena ilha lá ao longe
Quero ser toda a água que te envolve.

O castelo no promontório
Quero ser a Princesa que guardou a memória dos tempos.

A pequena flor que renasceu na Primavera
Quero ser as pétalas do bem-querer.

O arbusto agreste que nasceu na pedra
Quero ser a seiva que corre no sangue.

E do outro lado
Por detrás da serra
Quero escutar
Quero vislumbrar
Quero sentir
Quero saber
Quero saborear nas ondas do ar
O que vem depois de Amar.

17/01/07
Pensamentos: , ,
Abrigo por Anamel às 14:33

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Hoje

Hoje pude voar
A distancia entre nós

Hoje pude sonhar
Amores inventar

Hoje senti o silêncio
Espreitando o vazio

Hoje descobri as lonjuras
Regressando nos horizontes

Hoje madruguei antes de adormecer
Senti as marés acordarem o sono que não dormi

Hoje senti o corpo
Erguer-se nas sombras da areia

Das sombras renasci os gestos
Dos gestos escrevi segredos
Embrulhados nos espelhos das águas

Hoje perdi-me nas curvas giestas
Adormeci as vozes
Embrulhei as memórias
Em pequenas palavras

Hoje parti para longe de mim
Aprendi a regressar todos os dias.

16/01/07
Pensamentos: ,
Abrigo por Anamel às 14:30

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Regressar em Ti

Regressar ao abrigo do teu corpo
Caminhar a ternura na tua pele
Ser mar ardente por dentro do teu olhar
Ver-te assim espelho d`água

Desenhar-te a sombra nas marés
Saber-te o sabor na maresia
Sentir-te areia entre os dedos

Indagar dos segredos
Gestos de amiba
Invisível presença
Estares aqui

Por detrás das serras
Caminhos de regresso

Todos os afectos
Todos as vozes
Todos os silêncios
Todos os gritos
Todas as conjunções
De todas as palavras que não sei dizer

Amanhecer os encantos
Descobrir-te os recantos
Aninhar-te envolto nos meus abraços

Feitiço da Lua
Alma nua
Coração de Abrigo
Meu Amor regressou em Ti.

16/01/07
Pensamentos: ,
Abrigo por Anamel às 14:25

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Este tempo, este lugar


Estou contigo
Quando escolhes os caminhos mais dificeis
Estou contigo
Quando acordas do pior pesadelo
Estou contigo
Quando te sentes perdido
Estou contigo
Quando o teu coração sofre
Estou contigo
Quando a tua pele pede calor
Estou contigo
Quando o teu corpo apenas anseia por um abraço
Estou contigo
Quando a tua alma recorda a saudade
Estou contigo
Quando todo o teu ser regressa a casa

Estou contigo neste tempo, neste lugar
Para Ti, por Ti
Respirarei o teu Ser.

21/12/06
Pensamentos: ,
Abrigo por Anamel às 14:05

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Amar até acordar..

Ele vinha sem muita conversa, sem muito explicar. De rosto cansado, apenas sonhava descansar na entrega dos abraços, na paz dos regressos. E foi o que fez. Regressou.
Abriu a porta, escancarou a janela da sala de uma qualquer casa cuja pertença já nem se lembrava. Olhou ao redor e não soube explicar a si próprio qual o sentido das emoções, das paixões de alma que lhe recordavam as saudades.

Viu então que à sua frente se estendiam muitos horizontes, sentiu os caminhos que os seus pés descalços haviam pisado, espelhou nos olhos todas as maravilhas do mundo que já havia visitado, afagou nos gestos todos os amores que se tinham apartado.

Deu uns breves passos, atravessou a casa e daquela janela sobre o promontório chamou a si aquele céu infinito. Deitou a sua alma nas nuvens e descansou. Perdeu-se nas horas todos os sentidos, à deriva do olhar. Sim, simplesmente dos breves instantes do olhar, no silêncio das palavras, parou.

Estás ai? Inquiriu num monólogo. Apenas o seu coração respondeu: sim estou dentro de ti, apazigua a tua ansiedade, o teu coração ainda ama. Voltou costas ao mundo, reteve na lembrança todo o céu, todos os olhares, todos os gestos e fez Amor até acordar…

18/12/06
Pensamentos:
Abrigo por Anamel às 14:02

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30

Abrigos recentes

Esta sede que te sinto..

Quando..

Fica com a menina..

Deixa que te sintam...

O olhar na pele

Praia do teu corpo

Ficar aqui...

'Viver não doi' - Carlos ...

Perto estão os dias em qu...

O Café da Ilda

Sótão dos Pensamentos

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Pensamentos

alentejo blue(1)

alunos(2)

amar(3)

amigos(4)

amigos virtuais(6)

amor(5)

eu(45)

fernando pessoa(1)

filmes(1)

fotografia(3)

livros(7)

mãe(15)

monica ali(1)

musica(1)

natal(1)

ornatus violeta(1)

poesia(66)

sentir(1)

viagens(2)

vinicius de morais(1)

todas as tags

Favoritos

'I dreamed a dream' - Gle...

'Don't stop believing' (S...

Fica com a menina..

'Tento saber' - Nuno Guer...

'Ballade pour Adeline' - ...

'Into the night' - Carlos...

Descubram-me no abrigo das palavras

blogs SAPO

Subscrever feeds