Sou tudo aquilo que escrevo.Não há melhor forma de me conhecer.Nas palavras encontrei todos os sentidos.Nos gestos descobri todas as emoções. No amor descobri a vida em mim.Tudo em mim é mar, calmo ou violento, quando olharem esse azul imenso de água pleno, relembrem as palavras que escrevi, esse é o segredo de estar aqui.
Terça-feira, 1 de Abril de 2008

Quando..

Quando um dia te lembrares de mim
conta-me as palavras que não soubeste escrever

Quando um dia me quiseres amar
Conta-me o que sentires nas entrelinhas da minha pele

Quando um dia me sentires longe das tuas memórias
Conta-me os teus desejos nas ondas que desaguam na praia do teu corpo

Quando um dia não souberes o que sentes
Conta-me os carinhos que há tanto esperas

Quando um dia não souberes o caminho que te traz de regresso a mim
Não queiras a  metade de mim

Quando eu quero ser tua por inteiro

Não quero metade de coisa alguma
Quero ainda que o sonho por inteiro.

31/03/08

Pensamentos: , ,
Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2008

Deixa que te sintam...

Foste por ai
Procurar as palavras
Que não soubeste dizer
Abreviaste os caminhos
Descobriste as enseadas
Nos trilhos da serra
Nas margens das águas
Chegaste a ti.

Nos brancos das casas
Das listas multicores
Dos morros que escondem o sol
Dos mantos das geadas
Das aldeias isoladas
Das solidões dos cajados
Das janelas vazias
Das árvores e das flores
Dos montes e dos abismos dos vales
Quiseste fazer memória
No sótão do teu olhar

E foste por ai
Contar os olhares
Abrigar as palavras
Noutras páginas
Doutras memórias

Deixa que te olhem
Deixa que te escutem
Deixa que te sintam
Deixa que te levem
De volta a cada instante.

Pensamentos: , ,
Abrigo por Anamel às 23:14

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

O olhar na pele

Teimoso quiseste seguir
Ansioso desejaste voar
A distância mais perto ficar

Tranquilo deixaste-te Amar
Sonhador permaneceste
Nas nuvens embalado
O horizonte guardado

Silencioso escutaste a paz
Nos seus abraços sentiste
As cores da quimera

Deitaste o teu olhar
Na pele das águas do seu leito
Afagaste o calor que não tocaste
Nos murmúrios dos gestos enlevados

Calaste todas as palavras
E pela sua mão
Amaste, esquecida solidão.

Pensamentos: , ,
Abrigo por Anamel às 23:13

Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30

Abrigos recentes

Quando..

Deixa que te sintam...

O olhar na pele

Sótão dos Pensamentos

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Pensamentos

alentejo blue(1)

alunos(2)

amar(3)

amigos(4)

amigos virtuais(6)

amor(5)

eu(45)

fernando pessoa(1)

filmes(1)

fotografia(3)

livros(7)

mãe(15)

monica ali(1)

musica(1)

natal(1)

ornatus violeta(1)

poesia(66)

sentir(1)

viagens(2)

vinicius de morais(1)

todas as tags

Favoritos

'I dreamed a dream' - Gle...

'Don't stop believing' (S...

Fica com a menina..

'Tento saber' - Nuno Guer...

'Ballade pour Adeline' - ...

'Into the night' - Carlos...

Descubram-me no abrigo das palavras

blogs SAPO

Subscrever feeds